Início > Ars Physica, Physics, Science > Satélite Planck foi lançado com sucesso

Satélite Planck foi lançado com sucesso

quinta-feira, 14 mai 2009; \20\UTC\UTC\k 20 Deixe um comentário Go to comments

Lançamento dos satélites Planck e Herschel, da ESA, realizado hoje na Guiana Francesa.

Lançamento dos satélites Planck e Herschel, da ESA, realizado hoje na Guiana Francesa.


O satélite Planck da Agência Espacial Européia (ESA) foi lançado hoje com sucesso da base em Kourou na Guiana Francesa. Cerca de 25 minutos depois do lançamento do foguete, o satélite foi ejetado em órbita preliminar e agora encontra-se em comunicação com a base da ESA em Darmstadt na Alemanha. Estão programadas para amanhã as primeiras manobras do satélite para entrar em sua órbita definitiva, procedimento que é estimado durar cerca de dois meses. Quando Planck estiver em sua órbita definitiva, os dados começarão a ser tomados.

Junto com Planck, a missão também colocou em órbita o satélite Herschel, que fará astronomia no infravermelho da Via Láctea e outras galáxias, fornecendo dados sobre a formação das estrelas.

Satélite Planck, sala de limpeza da base de lançamento na Guiana Francesa, 26 de fevereiro de 2009.

Satélite Planck, sala de limpeza da base de lançamento na Guiana Francesa, 26 de fevereiro de 2009.

O satélite Planck estudará a radiação cósmica de fundo (CMB) de microondas, a relíquia do Big Bang formada quando o universo tinha cerca de 400 mil anos de idade. O principal objetivo é medir as anisotropias da CMB — i.e. temperatura da radiação em função da posição no céu — com uma precisão de uma parte em um milhão, dez vezes mais preciso que o antecessor, WMAP, e também no limite de precisão atual dada a contaminação não-cosmológica de microondas no céu. Estas anisotropias contém informação sobre a semente que deu origem as galáxias no universo. Um dos modelos mais debatidos atualmente para a origem dessas anisotropias é a inflação (eu falei sobre esse mecanismo no blog aqui), e Planck permitirá investigar estes modelos com melhor precisão. As anisotropias da CMB também fornecem informação detalhada sobre o conteúdo do universo antes da formação da CMB permitindo excluir modelos de matéria escura.

Além das anisotropias, Planck medirá a polarização da CMB. Há um certo modo de polarização destes fótons que só pode ser produzido por ondas gravitacionais. Antes da formação da CMB, os fótons no universo eram absorvidos e re-emitidos tão rapidamente entre elétrons e prótons que a probabilidade de um fóton produzido por um processo físico antes da formação da CMB chegar até nós hoje é quase nula. Ao contrário dos fótons, as ondas gravitacionais tem poder de penetração muito maior trazendo detalhes do conteúdo do universo até a escala de Planck. As medidas de polarização da CMB podem refutar ou validar modelos da inflação que ocorre nesta escala.

Os primeiros dados do satélite talvez torna-se-ão públicos em 2011.


Este curto vídeo educacional da ESA fala sobre os satélites Planck e Herschel (em inglês).

Mais informações

About these ads
  1. Fabio Pra
    sábado, 16 mai 2009; \20\UTC\UTC\k 20 às 08:00:13 EDT

    Excelente post!

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 68 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: