Início > Ars Physica > Café Científico

Café Científico

sábado, 7 nov 2009; \45\UTC\UTC\k 45 Deixe um comentário Go to comments

Imagine que regularmente em algum bar ou café da sua cidade, ocorrem encontros públicos com algum cientista que estará lá para vocês tomarem um café ou um vinho e você tirar suas dúvidas sobre transgênicos e engenharia genética, ou o acelerador de partículas LHC, ou mudança climática, poluição e economia globalizada. E há possibilidade de grupos de crianças terem esse mesmo contato na escola, ao invés do café. Algumas cidades já contam com eventos assim, são os Cafés Científicos, iniciados na Inglaterra.

Eu mesmo estou me envolvendo no segundo ano do Café Científico da minha vizinhança. Dia 20 de novembro eu vou acompanhar uma colega, Sara Walker, que estuda o problema da origem da vida, para assistir um encontro informal de perguntas e respostas entre ela e crianças da cidade de Claremont. No Brasil, seriam o equivalente à crianças de 6a a 8a série do ensino fundamental — já incorporando aqui a mudança de que a série alfabetização agora se chama 1a série, e o antigo último ano do ensino fundamental, que era 8a, virou 9a.

Onde eu moro, a iniciativa é da universidade Dartmouth College, de levar alguns de seus alunos de pós-graduação para conversar com crianças sobre ciência. Eis aqui o site original do programa:

Cafe Scientifique

(em fracês, porque na língua inglesa é muito chic se você usa uma expressão em latim ou francês!). No Brasil, há quatro cafés científicos cadastrados:

Você pode começar um Café Científico na sua cidade. É uma idéia muito simples: você convida um grupo de cientistas que estejam dispostos a ter uma conversa informal sobre algum tema e então organiza um encontro com pessoas interessadas — você nem precisa ser um dos cientistas para isso. Se você é professor(a) ou coordenador educacional em uma escola, pode fazer isso na escola, convidando professores e alunos de pós-graduação que sejam pesquisadores da universidade federal mais próxima. Nenhum dos participantes cobra pela conversa😉

Eu também tentei iniciar no mês passado por conta própria pelo menos um par de eventos assim na minha cidade natal, Belém do Pará, para onde eu retorno frequentemente nas férias. Porém, infelizmente, as escolas que contactei não tiveram interesse, mas se há alguém de lá aqui me lendo, saiba que de minha parte vontade há, e eu conheço contatos na Universidade Federal do Pará e paraenses pesquisadores na USP e na Unicamp que aceitariam convites🙂

  1. João Paulo
    sábado, 7 nov 2009; \45\UTC\UTC\k 45 às 15:00:42 EST

    Sou morador do Rio de Janeiro(RJ) e adorei essa iniciativa do Café Científico. Como eu gostaria que tivesse um evento desse aqui no Rio de Janeiro, uma boa conversa informal.
    Aqui tem lugares maravilhosos para um bom bate papo(perguntas e respostas), o difícil seria alguém se interessar por debates científicos com uma temperatura de 40°C.

    • segunda-feira, 9 nov 2009; \46\UTC\UTC\k 46 às 10:28:32 EST

      João, eu acho que a Fundação Oswaldo Cruz no Rio organizava um Café Científico na capital, então você poderia ligar para o Museu da Vida da Fiocruz para saber se ainda aacontece e como funciona.😉

      O CBPF bem que podia organizar um ‘Refresco Científico’, tomar uma água de coco na praia da Urca de vez em quando, em alguma barraquinha, e conversar sobre ciência.🙂

  2. Heloisa
    sábado, 7 nov 2009; \45\UTC\UTC\k 45 às 15:08:16 EST

    Muito bem Leleo, acredito que todo professor, independente da sua área de estudo e pesquisa, precisa socializar seu acúmulo de conhecimento com este público. É muito interessante o incentivo à pesquisa se dissipar entre os alunos a partir da educação básica. Aqui no Brasil tal exercício ainda é escasso, infelizmente… Porém, é animador assistir professores do seu nível com este interesse educacional =) Os alunos de pós-graduação, imagino, devem ter muito a contribuir… O comum é que ocorra um afastamento destes educadores com o ensino escolar [há motivos para isso, não?]
    Fico muito feliz por você está ampliando seu campo de atuação para estes fins. Parabéns pela iniciativa e pelo ato incentivador aqui no blog. Boa sorte!

    OBS: Não desista de apresentar seu projeto às escolas de Belém, além do que você pode tentar com as escolas da rede pública também =P [apenas uma sugestão]

    Helo

  3. segunda-feira, 9 nov 2009; \46\UTC\UTC\k 46 às 12:14:59 EST

    Leonardo, boa a iniciativa cara. Bem, como não estou mais morando no Pará há algum tempo, só posso torcer para que dê certo por aí.

  4. terça-feira, 10 nov 2009; \46\UTC\UTC\k 46 às 14:13:34 EST

    Eras, adorei a idéia! Pensei em algo do tipo uns meses atrás, mas com idéia de um evento mais formal, como palestras pequenas no CENTUR, só que infelizmente não deu certo porque não consegui mais que 2 cientistas pra ajudar e realizar eventos lá também não tá fácil… Mas eu conheço algumas pessoas que estariam interessadas, se eu soubesse que já tentaste antes, a gente podia ter visto isso melhor.:/
    Em dezembro agora eu tô indo morar em Curitiba, então foi ótimo saber que já fazem isso por lá.
    E como o Fernando disse, vou torcer para que dê tudo certo por aqui, seria excelente ver isso acontecer aqui, e digo até que algo assim é necessário.

    P.S: Me adiciona no msn pra a gente conversar. Talvez eu possa te ajudar com alguns contatos que eu tenho por aqui e de repente trazer isso mais pra perto.
    bernardosoliveirasc@gmail.com

    E me avisa quando vieres por aqui de novo.
    Um abraço, primo.

    Bernardo Oliveira.

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: