Início > Ars Physica > Novos resultados do inverno em física de altas energias.

Novos resultados do inverno em física de altas energias.

sexta-feira, 12 mar 2010; \10\UTC\UTC\k 10 Deixe um comentário Go to comments

Se você, assim como nós, não pode estar esquiando em Moriond, pelo menos podemos conversar sobre o que estão fazendo lá.🙂

Eis que mais meio ano passa e uma nova leva de resultados é apresentado ao público:

Resultados do D0 e, mais detalhadamente, aqui
Resultados do CDF

Com 8 fb^{-1} de dados já entregues pelo Tevatron e por volta de 5 fb^{-1} analisados, muitos resultados mas nada muito extraordinário.

Continua-se testando QCD no regime perturbativo e nada de escandaloso. Nas apresentações, quando se vê algo que não bate com a teoria é porque o regime perturbativo não é mais válido. A minha impressão é que no que concerne QCD, esses resultados são basicamente de utilidade instrumental: medir melhor PDFs, \alpha_s e por aí vai. Por sinal, a técnica de estudar P(3 jatos | 2 jatos) para medir \alpha_s com menos influência da parte não perturbativa é bem inteligente, mas não sei até que ponto é realmente novo.

O D0 também reporta a primeira medida da largura de decaimento do quark top, usando de forma também bem inteligente outras medidas antigas. A proposta teórica de como fazer essa medida e porque ela é importante para verificar diferentes modelos de quebra de simetria eletrofraca pode ser lida aqui. Por sinal, o C.-P. Yuan deu uma palestra muito boa essa semana sobre métodos de resomação em QCD e sobre o gerador de eventos ResBos que ele desenvolve.

Sobre física nova, nada a não ser mais limites meio ridículos.

Sobre o Higgs, a empreitada continua. Eu realmente não tinha noção de como essa análise é difícil. É um exército de pessoas estudando cada interação do Higgs no modelo padrão (e em alguns modelos de extensão do modelo padrão) para determinar as propriedades dessa partícula. As apresentações acima discutem alguns desses canais e chama atenção para a região de exclusão que já discutimos aqui no blog quando foi divulgada pela primeira vez.

O CDF também apresenta resultados interessantes. Eles apresentam algumas medidas de produção de hyperons (alguém ainda usa esse nome?). Esses bárions de quarks leves são bem difíceis de se fazer conta. Eu acho que eles nem comparam com teoria. A realidade é que a região não perturbativa da QCD continua um mistério. Esse tipo de medida não é o objetivo desse tipo de experimento tipo D0 e CDF, mas eles conseguem fazer medidas bem precisas. O CDF também consegue fazer medidas de bárions do quark b com precisão similar aos experimentos dedicados a isso. Dizem os entendidos que é por causa do sistema de tracking do CDF que funciona muito bem.

No que tange física nova, também nada. Mas acho que ninguém espera muito.

O CDF também reporta a medida mais precisa da massa do top com dois métodos diferentes. Falando em métodos, eu fico impressionado como esses métodos de redes neurais, árvores de decisão, árvores aleatórias, … entraram na física de altas energias e não saem mais. Isso é bom, claro! Mas é bem sofisticado. Físicos nunca foram conhecidos por refinamento em análise de dados. No passado quase tudo era mesmo na força bruta. Agora, principalmente por causa do Top e do Higgs, pessoal resolveu sentar a bunda e estudar.

Faz bem.

Categorias:Ars Physica
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: