Início > Ars Physica, arXiv, Biology, q-bio, Science > Possíveis bactérias em lago de asfalto reacende chance de vida em Titã

Possíveis bactérias em lago de asfalto reacende chance de vida em Titã

domingo, 18 abr 2010; \15\UTC\UTC\k 15 Deixe um comentário Go to comments

Titã

Fotografia de Titã, uma das luas de Saturno, missão Cassini da NASA, julho de 2009. Exibe-se a reflexão da luz do Sol no lago de hidrocarbonetos da lua. As cores são reais.


Grupo de astrobiólogos alega ter encontrado evidência indireta de vida em lago de piche parco em água que possui condições similares a lua de Saturno, Titã, reacendendo a possibilidade da lua abrigar vida.

Um grupo de astrobiólogos liderado pelo Prof. Dirk Schulze-Makuch[1], da Universidade Estadual de Washington em Pullman, alega ter encontrado evidências indiretas de que há cerca de 10 milhões de bactérias por grama de betume em um lago natural de asfalto quente localizado em Trinidad e Tobago, conhecido pelo nome Pitch Lake (Lago de Piche)[2]. O achado é inesperado pois o lago é constituído primariamente de hidrocarbonetos a temperaturas de 32 °C a 56 °C com quantidade de água praticamente zero (em concentração menor que 0.01%, considerada abaixo do limite mínimo de água necessária para vida). O grupo atesta a existência dessa população de bactérias observando que a quantidade de isótopo de carbono 12 é desproporcionalmente maior que a do carbono 13[3] e identificando a presença de pelo menos seis aminoácidos. Para poder sobreviver, especula o grupo, essas bactérias devem estar realizando metabolismo sem água, respirando metais e degradando sem oxigênio algum ou alguns dos hidrocarbonetos presentes: metano, etano e propileno — características dramaticamente diferentes das formas de vida já conhecidas na Terra.

A: vista aérea do Lago de Piche em Trinidad, um dos maiores lagos naturais de asfalto do mundo. B: bolhas de asfalto quente na superfície do lago onde pode haver vida, mesmo praticamente sem água. Fotos do artigo ref. 2.

Isso suscita novamente a possibilidade de que exista vida em Titã, a maior lua de Saturno. Provavelmente um dos primeiros astrobiólogos a falar sobre vida lá foi Carl Sagan. Após as missões Voyager 1 e Voyager 2, ficou conhecido que a atmosfera da lua contém hidrocarbonetos e possui, assim como a Terra, a molécula de nitrogênio como principal constituinte. Sagan observou que Titã possui uma superfície sólida sobre a qual existe um lago de hidrocarbonetos, uma atmosfera com compostos orgânicos a uma pressão apenas 1,6 vezes maior que a da superfície da Terra, e gelo, ingredientes potenciais a vida ou pelo menos os estágios primários de vida. Em As Variedades da Experiência Científica, ele escreveu:

Agora, isto é um mundo que vale a pena visitar. O que aconteceu com essas coisas no decorrer dos últimos 4,6 bilhões de anos? Quão longe isso foi? Quão complexas são as moléculas lá? O que acontece quando há ocasionalmente um evento externo ou interno que aquece as coisas localmente e derrete um pouco do gelo para formar água líquida? Titã é um mundo gritando por exploração detalhada e parece ser um experimento em escala planetária nos primeiros passos que aqui na Terra levaram a origem da vida porém lá em Titã foram provavelmente congelados, literalmente, nas primeiras etapas, devido a escassez de água. [trad. livre minha]

Em 2005, o astrônomo Christopher McKay da NASA e Heather Smith[4] esquematizaram quimicamente como poderia existir uma forma de vida em Titã cujo metabolismo seria baseado em converter hidrocarbonetos em metano, parte do tipo de esquema que seria necessário para a existência de vida no Lago de Piche, segundo o achado do grupo de Schulze-Makuch. Este último também é um defensor de longa data da possibilidade séria de existir vida em Titã. Em contrapartida, no final de 2005, a sonda Cassini da NASA identificou que a proporção de carbono 12 para carbono 13 da atmosfera de Titã não sugeria vida, enfraquecendo a hipótese, pelo menos de formas de vida como se conhece na Terra.

Ainda assim, a descoberta no Lago de Piche pode permitir a investigação de organismos que vivem em condições similares a Titã, e desta forma aumentar o leque de condições aceitáveis a vida nas buscas astronômicas por vida extraterrestre.

Referências e Links

  1. Laboratory for Astrobiological Investigations & Space Mission Planning, Washington State University; Dirk Schulze-Makuch.
  2. arXiv:1004.2047 [q-bio].
  3. Como as formas de vida na Terra metabolizam 12C, excesso de 12C sobre 13C é considerado sinal de vida.
  4. C.P. McKay, H.D. Smith, Icarus 178 1 (2005).
  5. arXiv blog
  6. Cientistas defendem hipótese de haver vida em Titã, Folha de S. Paulo (04 de janeiro de 2006).
  7. Sítio da missão Cassini.
  8. Fotos diversas do Lago de Piche de Trinidad e Tobago.
  1. quarta-feira, 21 abr 2010; \16\UTC\UTC\k 16 às 15:39:59 EST

    Olá Leonardo,

    Conhece o Research Blogging? Gostaríamos muito de ver seus posts por lá…
    http://researchblogging.org/

    Aqui você pode achar mais informações de como o site funciona:
    http://portuguese.researchblogginglanguages.org/?page_id=18

    Abraços e parabéns pelo post.

    • quarta-feira, 21 abr 2010; \16\UTC\UTC\k 16 às 16:23:50 EST

      Olá Luiz,

      obrigado pelos comentários🙂

      Eu já tinha visto os posts do Daniel com essa marca mas não tinha visto com cuidado o que se trata.

      @Daniel: para o post passar para esse Researchblogging é só eu adicionar no post o ícone que você colocou nos seus (com o link que você colocou suponho)?

      • quarta-feira, 21 abr 2010; \16\UTC\UTC\k 16 às 17:37:53 EST

        @Leo (correndo pra caçar o ônibus),

        Não é só a imagem/ícone, não, Leo: tem que colocar todo um markup pra referência ser pega automaGicamente pelo ResearchBlogging. Dá uma olhada nas instruções (RTFM😉 ) e, se der algum problema, me fala.😎

  2. quarta-feira, 21 abr 2010; \16\UTC\UTC\k 16 às 15:42:34 EST

    @Luiz Bento,

    Eu já cadastrei o AP por lá, e inclusive já usei o serviço em vários posts.🙂

    []’s.

  3. quinta-feira, 22 abr 2010; \16\UTC\UTC\k 16 às 10:14:31 EST

    Que coisa mais estranha… se as pessoas tem acesso ao piche, porque precisam de métodos indiretos de procura de vida?

    Sei não, eu vejo isso com muito maus olhos.

  4. Raphael
    quinta-feira, 29 abr 2010; \17\UTC\UTC\k 17 às 22:12:35 EST

    Leonardo, o texto está excelente, mas o título contém uma falha: no contexto usado a grafia correta é “reacende” e não “reascende”.

    • sexta-feira, 30 abr 2010; \17\UTC\UTC\k 17 às 23:56:30 EST

      Raphael, você tem toda razão, obrigado!🙂 Texto corrigido.

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: