Início > Ars Physica, Economia, Economia Brasileira > A sétima ou a septuagésima economia do mundo?

A sétima ou a septuagésima economia do mundo?

quinta-feira, 3 mar 2011; \09\UTC\UTC\k 09 Deixe um comentário Go to comments

A esquerda: subúrbio pobre de Chantilly, França, economia que, segundo o Ministro Dr. Mantega, a economia do subúrbio a direita superou em poder de compra em 2010.

Mentiras, vergonhosas mentiras e estatísticas, já diz o provérbio. Então o Mantega grita para todo mundo ouvir, o Brasil fechou 2010 com uma economia maior que a França. Isso se você olhar o PIB. Essas frases, “maior economia”, é o tipo de manipulação política de frase vaga que não diz nada. O que ele quis dizer foi que o PIB do Brasil é alto. Só isso. Mas dai para dizer que o poder de compra do brasileiro está em sétimo no mundo, não é apenas um salto quântico, é falso.

Está faltando algo ai nessa conta, Dr. Mantega. Por que enquanto o Brasil supera a França no PIB, eu não estou vendo o poder de compra do brasileiro médio superar o do francês (onde a renda per capita é três vezes maior que o Brasil… é isso mesmo, 3x). Se qualquer coisa, o que eu vi durante 2010 é que o poder de compra do brasileiro caiu em comparação com o norte-americano, e olha que o EUA entrou em uma das maiores depressões econômicas dos últimos 30 anos.

Ah, é que o Mantega esqueceu do seguinte: desse PIB ai, R$1,27 trilhões foi pago de imposto, isto é, 34,6%. Em comparação, carga tributária de outros países é: Japão (17,6%), Estados Unidos (26,9%), Suíça (26,9%), Irlanda (28,3%), Turquia (23,5%), México (20,4%). Só na escandinávia, na França e no Canadá que se paga (quase) tanto imposto como no Brasil. Eu não reclamaria de deixar 40% da renda no imposto como o dinamarquês faz, o tanto que o serviço público resultante fosse igual o da Dinamarca. No Canadá, se deixa 32,3% da renda em imposto, ligeiramente menos que o Brasil, mas eu tenho a leve impressão que o resultado do investimento público canadense, que inclui ai pensão, hospitais e escolas, é levemente de maior valor real do que o a contribuição do estado brasileiro para o PIB. Você não acha? Existe isso ai também. Olha, o PIB inclui o gasto oficial dito pelo governo. Então é mais ou menos assim: o governo do Brasil inclui no cálculo do IBGE do PIB um gasto com educação que é maior que o gasto do governo do Canadá… mas você vê os indicadores de educação do Canadá estarem comparáveis ao do Brasil? Anda pela a Universidade British Columbia (UBC) e me diz se a verba da sua faculdade federal, que na conta do governo é maior que a UBC, reflete a realidade. Como é possível o PIB brasileiro indicar maior gasto com educação que o canadense, se em um ranking de produção científica o Canadá fica entre os 5 primeiros do mundo e o Brasil fica depois do centésimo (100) lugar? Faltou incluir um estimador novo: um coeficiente de atrito do setor público. Para onde será que realmente vai o dinheiro da nota fiscal oficial do MEC, se o MEC diz que gasta mais com educação que o Canadá mas o professor de escola pública canadense ganha 60 mil dólares por ano? E tem mais: eu estimo grosseiramente que acima da metade do PIB do Brasil é do governo, de uma forma ou outra, porque não apenas o setor público representa um investimento de gasto no PIB no Brasil, como o privado real quase não existe: grande parte das maiores empresas do país e dos maiores bancos são do governo e controlados por pessoas indicadas pelo poder público, e não estão na mão de uma iniciativa privada autêntica. É o Banco do Brasil, a Caixa, Petrobrás, o maior acionário da Embraer, mais da metade da Vale e por ai vai. O mesmo não é verdade para os países verdadeiramente mais ricos do mundo, como a França.

Se a conta fosse feita corretamente, isto é, subtraindo o imposto e levando em conta o superfaturamento do serviço publico brasileiro, a economia útil do Brasil não ia ficar tão boa no ranking, ficando atrás de todas as demais economias ditas primeiro mundo e atrás de muitas outras em desenvolvimento. E se levar em conta a renda per capita, o Brasil fica em 70 lugar, abaixo de todos os países chamados de primeiro mundo e abaixo de muitos em desenvolvimento como Coréia do Sul, Cingapura, China e Hong Kong, Argentina, Chile e Urugay e até do México.

Que a economia brasileira tem um PIB maior que a da Islândia isso é óbvio. O problema é dizer que o poder de compra do brasileiro é maior que o do islandês; isso é patentemente falso. A renda per capita de lá é 4 vezes a do Brasil, o islandês paga menos da sua renda em imposto e obtém um serviço público de saúde e escolas muito mais eficiente, com exatos 0% de analfabetismo e 0 pessoas abaixo do nível da pobreza.

Então, Dr. Ministro, seja mais comedido nos comentários sobre o desempenho da economia nacional. Não vale absolutamente nada o Brasil ter o sétimo maior PIB do mundo, quando a real posição de produção da economia privada e do valor do setor público nos coloca lá pelo septuagésimo lugar, ou ainda mais embaixo.

  1. Eduardo Valente
    sábado, 5 mar 2011; \09\UTC\UTC\k 09 às 12:41:18 EST

    Típico do Brasil fazer esse tipo só coisa para inglês ver.

  2. Eduardo Valente
    sábado, 5 mar 2011; \09\UTC\UTC\k 09 às 12:43:46 EST

    Droga, saiu errado.

    Típico do Brasil fazer esse tipo de coisa só para inglês ver. *

  3. Helder
    sábado, 9 jul 2011; \27\UTC\UTC\k 27 às 22:19:54 EST

    Ótiimaaa matéria Leonardo!!! obrigado pela sinceridade e pela oportunidade de enxergar melhor meu país.

  1. quinta-feira, 2 jun 2011; \22\UTC\UTC\k 22 às 11:41:06 EST

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: