Arquivo

Posts Tagged ‘cultura livre’

Internet e ciência

sábado, 2 maio 2009; \18\UTC\UTC\k 18 4 comentários

Um tópico recorrente no nosso blog é o livre acesso a informação e como a Internet tem o potencial de mudar a forma como se faz ciência — em geral fica a cargo do Tom, Daniel e Rafael Calsaverini, nossos três mosqueteiros do livre acesso 😉

Na edição do mês de maio da Physics World, Michael Nielsen (o mesmo do livro Quantum computation) faz um apanhado histórico da evolução do sistema de publicação na ciência e a dificuldade de se aceitar novos paradigmas (Doing science in the open, Phys World maio 2009). No momento eu só tenho a acrescentar um ponto que o Nielsen não incluiu na sua lista de razões para a dificuldade da ciência atingir o mesmo patamar de colaboração que existe na comunidade de software livre: fama. A ciência é uma carreira profissional como outras e uma parte relevante do comportamento dos indivíduos não é diferente do que você encontra no setor de entretenimento. Orgulho e fama é um componente importante que motiva vários cientistas, eles sempre querem ver seus nomes cravados ao lado de uma equação ou experimento. Plena colaboração e abertura de idéias é entendido como algo comprometedor em um cenário onde as pessoas acham que estão competindo entre si por prioridade de descoberta e não colaborando para entender o universo. Não é incomum quando um grupo de cientistas fez um avanço e tornou-o público, o trabalho publicado contém deliberadamente omissões de detalhes importantes. Isso faz com que os autores do resultado estejam naturalmente a frente dos demais pesquisadores interessados, que terão que resolver pequenos problemas que podem durar semanas. É verdade que a desculpa antes da Internet era espaço nas publicações em vista do volume de material que era produzido. Mas essa desculpa não se aplica mais em um mundo onde você tem 1 gigabyte de email de graça. Eu acredito que a disputa por prioridade é uma das razões pela qual sistemas com open notebooks estão longe de serem adotados pelas principais colaborações científicas do mundo. Se você tem uma idéia de realizar um experimento e surge uma dificuldade no caminho, por incrível que pareça, é comum que as colaborações podem simplesmente desistir ao invés de procurar ajuda externa. Ou quando um grupo de cientistas anuncia um programa de pesquisa e outros indivíduos consideram-no interessante, o segundo grupo ao invés de juntar forças decide realizar o mesmo trabalho de forma independente para competir por prioridade. Eu considero como exemplos os casos da descoberta da energia escura (Dark Energy, Robert P. Crease, Physics World Dec 2007) e o Projeto Genoma Humano (NIH e Celera Corp.), e em bem menor grau as disputas CDF-D0 e CMS-ATLAS. Não é uma questão de apenas reproduzir o resultado para dar maior base científica, muito pelo contrário, dificilmente projetos experimentais são considerados interessantes quando o exclusivo objetivo é reproduzir algo já conhecido. Há uma declarada competição e interesse de prioridade. E podemos ver como os ânimos ficam agitados observando o comentário no artigo do Robert Crease sobre a descoberta da energia escura ou como as pessoas se sentem ofendidas se você chamar o teorema fundamental do cálculo de teorema de Stokes ao invés de teorema de Leibnitz-Newton-Gauss-Green-Ostrogradskii-Stokes-Poincaré! É mais fácil demonstrar o teorema que lembrar todos os nomes associados a ele…

Será que um dia a ciência vai se livrar dessa disputa de ego e prioridade, e se concentrar nos resultados? Isso vai requerer uma verdadeira mudança de paradigma cultural. Na comunidade de software livre, muito diferente do que acontece na ciência, nós realmente não associamos nomes de programadores aos programas: eu uso o gnuplot e pdflatex no Terminal sem saber os nomes por de trás de cada programa. Será que um dia a ciência vai adotar esse formato?

Anúncios

Biblioteca digital da Unesco abre nesta terça

segunda-feira, 20 abr 2009; \17\UTC\UTC\k 17 1 comentário

Pensei em compartilhar com vocês esta notícia: Unesco lança biblioteca digital mundial nesta terça. O site da biblioteca é www.wdl.org.

Na redação da Folha, também menciona-se a Europeana, um portal que eu já havia esquecido faz tempo! Há obras em texto, vídeo e imagem.

De iniciativa muito parecida, é o site Domínio Público do governo brasileiro, que disponibiliza obras que não são mais protegidas por direitos autorais, a maioria literatura brasileira com mais de cem anos da morte do autor. Este site me foi muito útil quando fiz vestibular 🙂

Ars Physica começando a entrar na Wikipédia em português

segunda-feira, 9 fev 2009; \07\UTC\UTC\k 07 2 comentários

“Imagine um mundo onde qualquer ser humano posssa ter livre acesso a soma de todo conhecimento produzido.”

Será um post curtinho, pois acho que isso deve ser melhor discutido nas próprias páginas da Wikipédia. Primeiramente, gostaria de divulgar a página de um projeto cujo objetivo é organizar a edição de artigos de física da Wikipédia em português. Você pode verificar a lista de outros projetos parecidos aqui, Projetos em curso da Wikipédia, alguns deles relacionados a outras áreas da Ciência.

Recentemente criei um tópico na lista do Brasil Ciência pedindo uma comparação entre algumas outras enciclopédias que surgiram depois da Wikipédia, também de caráter coaborativo, mas com uma filosofia muito diferente, vejam Wikipedia vs. Citizendum vs. Scholarpedia vs. alguma outra. Os comentários do Rafael e Daniel foram interessantes. Há também um tópico nessa lista de discussões que o Daniel criou para organizarmos nossas contribuições na Wikipédia, vejam »» Wikipédia ««.O Rafael disse ter começado com o artigo sobre Supersimetria.

Alguns aqui do Ars Physica já contribuíatam para a Wikipédia em português: o Caio no artigo sobre paradoxo dos gêmeos, o Rafael Calsaverini falando sobre cópula – não se espantem, é outra cópula! -, o Rafael Lopes em mais de um artigo, o Adriano melhorou um artigo sobre consevação de energia que editei – alguém mais? Mas o que eu gostaria é de sistematizarmos melhor nossa contribuição e estabelecermos prioridades sobre quais artigos vamos ajudar a melhor primeiro. Na página do projeto, há uma interessante tabela que acho que podemos começar a editar, vejam Matriz qualidade/importância.

Podemos ir discutindo na página de discussão do projeto ou, quem não está tão familiarizado com o esse formato wiki (sugiro familiarizar-se), no campo de comentários aqui desse post de blog ou no tópico da lista de emails sobre a Wikipédia.

Por fim, gostaria de destacar que um capítulo da Fundação Wikimedia está chegando no Brasil, vejam Wikimedia Brasil. Tentando me envolver e ajudar com o projeto, estou começando a entender um pouco mais a organização da Wikipédia e seus projeto (mesmo assim, ainda sou um bebê!). Por isso acabei descobrindo esse projeto de física, por ter ajudado com uma lista de artigos relacionados a Cultura Livre (que quero ajudar a melhorar!). Também vale a pena ler a carta de princípios que está sendo elaborada pelo pessoal ativo para criar um capítulo da Wikimedia no Brasil, vejam Carta de Princípios.

Sugiro aos meus amigos do Ars Physica, que toparem ajudar, a colocar seus logins da Wikipédia em português na lista de participantes da página do projeto. Agora é colocar as mãos na massa!

%d blogueiros gostam disto: